sábado, 20 de junho de 2015

A LUTA PELA SOBREVEVÊNCIA. DA ESTÉTICA A FLATULÊNCIA.

A estética!
É a harmonia nas, e das coisas.
Na música, no modo de pensar, na convivência.
A beleza da moça, é o seu todo: o andar, a simplicidade do olhar, o carinho, a introspecção no comportamento, o tom natural e contido da voz.

É a estética do que é interiormente belo:
A Criação!
A Igreja Católica - a de sempre.
O por do sol.
As ondas do mar.
A criança!
A sabedoria.
A Fé.
A família.
A namorada.
O sonho.

De repente, as cólicas.
Pum, pum, pum, pum,...
Está e a monotonia no ritmo de quantas músicas de sucessos hoje em dia; Onomatopeia musical expressando a flatulência expostas nas pautas.
Perde, a música a sua harmonia. É a estética musical esgoto abaixo.

Na arquitetura, os rabiscos de Niemayer borrando a estética do branco do papel, riscando Brasilia, uma cidade desumana.
A chegada das favelas, então, transformou a capital federal numa cidade mais humana; muito mais do que a cidade do modelo socialista do arquiteto.
A falta da harmonia; é o Niemayer com o seu Museu do Olho, desconsiderando as dificuldades das pessoas deficientes.
É o pum, pum, pum na arquitetura.

A estética do cinema nacional. Filmes bancados com o dinheiro publico.
Público? Para que? Se as verbas federais inundam as contas bancárias do diretor, do produtor, e ai vai.
Pum. Só um pum, faltam gazes para o filme nacional.

As novelas...O programas de entrevistas nas televisões; os especialistas...
Bruuummmm, pum, fiummm.
Gazes demais.
O sistema educacional imposto pelo Estado.
Perigo! Explosão atômica.

Na falsa encíclica Laudato Si, Bergóglio escancara a poluição que vilipendia a harmonia.
Tenta ferir a estética da Fé Católica.

Stan Laurel a estética na arte do cinema
O excepcional cômico, parceiro do outro excepcional artista, o gordo.
A dupla produziu o que é de melhor do humor.
O que é bom da arte.

STAN LAUREL - EXPRESSOU A ESTÉTICA DO HUMOR NO CINEMA
É O PAPA! É A ESTÉTICA?

sábado, 13 de junho de 2015

ALGUNS ÍCONES DO BRASIL DE HOJE.



Alguns dos formadores de opinião (singular mesmo);
            Algumas das pessoas que decidem o nosso dia a dia;
                E algumas das coisas com as quais cruzamos, também no dia a dia.

A qualidade das suas influências, é da escolha de cada um.




A imagem não é de boa qualidade, mas fica a ideia...

segunda-feira, 8 de junho de 2015

A HYDRA.

O fato da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) entregar a lista com os nomes dos docentes e discentes de origem israelense à uma organização "palestina", a pedido desta última, é o sintoma da doença que já grassou na Alemanha nazista e ainda escraviza a Rússia, a China, Venezuela e outros.

É a mitologia se incorporando no cotidiano real.
É uma Besta tomando vida!



sábado, 6 de junho de 2015

quinta-feira, 4 de junho de 2015

AS MANIFESTAÇÕES QUE O ALEXANDRE GARCIA E OS SEUS "ESPECIALISTAS" VIRAM, E AS MANIFESTAÇÕES QUE EU EU VI

Dificilmente assisto os programas de televisões: especialmente os noticiosos e os comentários políticos.
É necessário ter um estomago especial; que eu não tenho.
Ou uma moral desestruturadas, que também não tenho.

Mas criei coragem e resolvi assistir o programa do Alexandre Garcia sobre Reforma politica no dia 04 de Junho deste ano.
Afinal, eu tinha ouvido falar que o Alexandre Garcia seria uma exceção.
Não!
Ele não é exceção no lamacento mundo dos comunicadores ditos "sociais", das televisões e jornais.

Numa determinada altura do programa, num pequeno lapso, ele e os seus "especialistas" comentam as manifestações de... 2013!!!
Simplesmente, olimpicamente "esqueceram" as manifestações de Março e Abril de 2015.

O que eles viram? - (aos 12:01 do programa)
- ... agora, estas "coisas" (referindo-se aos projetos que correm no Congresso Nacional), estavam nos cartazes das ruas de 2013...? Questionou o Alexandre.
- Não!
Responderam, também olimpicamente os "especialistas".
Resumidamente, o que eles viram foram cartazes pedindo boas escolas, bons hospitais e transporte público...

As manifestações que eu vi.
Estas sim.
As que provocaram o terremoto politico.
15 de |Março e 12 de Abril, e a Marcha a Brasilia promovida pelo Movimento Brasil Livre.

Motivos para o "esquecimento".
Seriam os alvos dos cartazes de 2015, os motivos para o esquecimento?